index: sweet pleasure

Em tempos de recessão, além de comprarmos mais batom, compramos também mais doces. Balinhas, chicletes, chocolates. Pequenos prazeres (e baratas guloseimas) que parecem preencher de doçura os tempos mais duros. Pequenas indulgências que transformam o nosso dia-a-dia. Nos Estados Unidos, esta é uma realidade reforçada por números e crescimento nas vendas do setor.

redx-24-a

As teorias do porque isso acontece podem variar, mas fato é que muitas das grandes empresas de doce reconhecidas mundialmente surgiram nos tempos da grande recessão (como Sneakers e Mars). E hoje, enquanto muitas companhias reportam prejuízos, empresas como Nestlé, Cadbury e Hersheys demonstram a sua força, crescendo até 30%.

“All is well in candy land” disse Jamie Hallman, dono da loja de doces Sweetdish em São Francisco, em entrevista para o New York Times. E não é mesmo?

Aqui no Brasil, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab), apesar da crise financeira mundial, as expectativas do setor são otimistas. A previsão para este ano é atingir faturamento de R$ 828 milhões, 8% a mais que em 2008.

E se toda esta doçura sair das balas e chocolates e passar também para nosso cotidiano? 

aspoonfulofsugar

Advertisements

Leave a comment

Filed under no consumo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s