the new newsstand: how can newspapers survive?

board_newnewsstand

Quando anteriormente falamos sobre esta tendência (falamos na mudança da forma de comercialização de revistas, o que implicava na transformação das próprias revistas em si), deixamos os jornais um pouco de lado – talvez porque os jornais sejam aqueles que enfrentam o maior declínio nestes tempos e, para os quais, se veja menos saídas.

No entanto, precisamos corrigir um pouco o nosso rumo, uma vez que nas últimas semanas pipocaram algumas boas notícias, idéias e insights relacionados ao mundo específico dos jornais.

E a pergunta que se faz agora é: como combater a recessão e a migração dos leitores para outros meios, especialmente para a Internet? Como manter a qualidade e os lucros? Como encontrar novos rumos para este tão tradicional negócio?

Alguns casos e exemplos nos ajudam a entender algumas soluções possíveis:

– Ao mesmo tempo que ouvimos o anúncio da morte de muitos jornais americanos, o editor alemão Axel Springer, proprietário do jornal Bild, o maior na Europa, apresentou o melhor resultado financeiro em 62 anos de história – NYTimes

– A Schibsted, uma editora de Oslo, mostra que as atividades online — como anúncios em seus sites e sites de classificados — perfazem quase um quarto do faturamento da companhia e a grande maioria dos seus lucros

– O acesso à informações online permanece gratuito e livre, mas alguns jornais começam a encontrar modelos para cobrar alguma coisa de seus leitores: no acesso aos classificados, no upgrade de seu perfil nas redes sociais, no acesso a conteúdos exclusivos 

vgnettverdens20gang20fp-thumb-200x305

–  Jeff Jarvis, um especialista no assunto, tem algumas reflexões a respeito dos novos modelos de negócio que um jornal deveria considerar:

Novos anunciantes – se o Google pode atrair empresas que nunca anunciaram antes, porque os jornais não podem?

Novos serviços – criar novos serviços que possam ser cobrados, trabalhando inclusive como um defensor de necessidades dos anunciantes locais

Produtos – começar a vender produtos, como faz o britânico Telegraph

– E, finalmente, em seu blog Seth Godin discorre sobre o tema, falando sobre a dificuldade de se reorganizar para o mundo online:

“A maior dificuldade que as pessoas envolvidas em indústrias tradicionais tem em entrar de cabeça em novos modelos online é o fato de que a transição não está estruturada de forma ordenada.

O novo negócio não é o mesmo que o antigo. Não basta apenas migra-lo para o meio online.  A editora People olha para a revista PCWorld e diz “isso nunca vai funcionar online”. E eles estão certos, não vai, porque o negócio é organizado em torno da impressão de suas edições mensais ou semanais e seus anunciantes, e sua força de venda… “Nosso negócio nunca vai funcionar online”. E eles estão certos.

Mas o Mashable funciona de forma perfeita online. E a mesma coisa vale para o Lifehacker. “Mas estes são casos especiais!”

Exatamente. Mas o The New Yorker é um caso especial também. Existem inúmeros tópicos nela que são suportados de forma muito melhor através do meio online: classificados, coaching, vendas, arquivos. Na verdade, tudo que está online é um caso especial, diferentes regras, diferentes economias, diferentes expectativas.”

Repensar os jornais e seu futuro talvez seja um dos maiores desafios enfrentados pelo mercado editorial. Mais do que livros, mais do que revistas, são os jornais que mais sofrem com este novo momento de baixa nos investimentos publicitários e mudança no comportamento de leitura de notíciais. Mas, como vimos acima, ainda existem saídas, desde que seus antigos detentores estejam dispostos a repensar sua estrutura e sua função social.

Advertisements

Leave a comment

Filed under no comportamento

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s