i want luxury, luxury: what I got is not enough*

i want luxury, luxury

Luxo é um termo controverso. Há quem diga ser sinônimo de raridade. Ter tempo de sobra. Ou viajar para um lugar exótico e pouco explorado. Luxo é encontrar o silêncio, para muitos.

Outros dizem ser riqueza pura, ostentação, excesso, o que bate de frente com as primeiras afirmações.

Mas a analogia mais freqüente é com as marcas. Luxo é ter grife, ter um nome de peso por trás, uma logomarca em destaque.

Fato é: o consumo de luxo tem crescido muito no mundo todo, e por vezes não se afeta nem diante de grandes crises econômicas. O Brasil, por exemplo, está hoje entre os 10 principais mercados de consumo de produtos de luxo do mundo. Na América Latina, responde por 70% do volume na categoria.

As marcas, notando a crescente procura por diferenciação, começam então a firmar parcerias, criando uma nova tendência onde todo o luxo que ofereciam se torna pouco. Nesta nova realidade, o luxo é sobreposto por ele mesmo, ganhando mais força e tornando-se mais único.

É carro com telefone, bicicleta com jóia, estilista com designer de móveis.
As possibilidades são infinitas, e o que vem por aí, é a gosto do freguês.

* letra de Luxury, de Depp Jones.

Advertisements

Leave a comment

Filed under na moda, no consumo, no marketing

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s